Como hábitos de vida saudáveis garantem uma melhor expectativa de vida?

Você sabia que os americanos têm uma expectativa de vida mais curta em comparação com residentes de quase todos os outros países de alta renda? De acordo com estudos da American Heart Association, isso ocorre devido ao impacto de fatores de estilo de vida prejudiciais na mortalidade prematura e expectativa de vida na população dos EUA. Os resultados provaram que a adoção de um estilo de vida saudável pode reduzir substancialmente a mortalidade prematura e prolongar a expectativa de vida em adultos daquele país.

Ou seja: bons hábitos levam a uma vida mais longa, leve e sã. E boa parte desses hábitos passa pela questão alimentar e de prática de exercícios físicos. Por isso, confira alguns fatores para ficar atento:


Índice de Massa Corporal (IMC)

Apesar de o IMC nem sempre levar consideração onde está concentrada essa gordura, a medida acima 25, ou seja, com sobrepeso, é um dos principais pontos para o encurtamento da vida, uma vez que a gordura produz substâncias tóxicas chamadas adipocinas. Elas aumentam as chances de se apresentar hipertensão, diabetes, problemas cardíacos e câncer, entre outros.


Percentual de Gordura

Mais que o peso ou IMC, é o percentual de gordura corporal que reflete os riscos para a saúde. A gordura localizada, principalmente na região do abdômen, é considerada a mais nociva, pois promove um quadro inflamatório que agride vasos sanguíneos e propiciando infarto e AVC. Também sobrecarrega de gordura o fígado, que em alguns casos evolui para cirrose, e aumenta o trabalho do pâncreas, facilitando o aparecimento do diabetes.


Sedentarismo

Existem inúmeros estudos apontando o sedentarismo como fator determinante para o aparecimento de doenças e, consequentemente, para uma menor expectativa de vida. Alguns dados apontam que uma corrida leve diariamente pode aumentar a longevidade em até seis anos. A revista The Lancet apontou que o sedentarismo tende a matar tanto quanto o cigarro, e traz um alerta: é preciso enxergar a população inativa como anormal e considerá-la em alto risco de doenças.


Alimentação

Uma alimentação balanceada e sem excessos é fundamental para uma vida saudável.  Coma mais frutas e verduras e diminua o consumo de carnes vermelhas, evite alimentos ultraprocessados e reduza o consumo de sal. Além de evitar o sobrepeso, uma alimentação saudável pode evitar diversas doenças associadas a obesidade, como a hipertensão, o colesterol elevado e a diabetes.


 Vida Saudável

Adotar um estilo de vida saudável, ainda que na velhice, pode aumentar a longevidade. Não fumar, não beber em excesso e praticar exercícios físicos regulares pode aumentar em até cinco anos o tempo de vida, mesmo para quem já apresentava alguma doença crônica. E lembre-se: o acompanhamento clínico frequente faz parte do processo do aumento da expectativa de vida, além de poder evitar que pequenos desconfortos transformem-se em doenças graves.

Quer saber mais sobre o tratamento da obesidade? Siga-nos em nossas redes sociais para acompanhar as nossas atualizações: estamos no Facebook, no Instagram e no Linkedin.