Cirurgias Bariátricas

Tipos de cirurgia bariátrica

A cirurgia bariátrica - também conhecida como gastroplastia, cirurgia da obesidade ou de redução de estômago - é uma intervenção médica pela qual podem passar os indivíduos com IMC elevado diagnosticados com obesidade de grau III ou grau II associadas a duas comorbidades. Ela normalmente é indicada para aqueles que não conseguem emagrecer por meio de tratamento medicamentoso e reeducação alimentar e que tenham doenças associadas ao excesso de peso.

Entretanto, mesmo que seja chamada de “cirurgia bariátrica”, existem tipos diferentes de cirurgia para a chamada "redução de estômago". Contudo, é importante ressaltar que o poder de escolha não depende do paciente, pois o especialista bariátrico saberá avaliar qual a melhor técnica para tratar a obesidade, quais os riscos e como a cirurgia terá influência nas doenças associadas, como diabetes e hipertensão por exemplo.

As análises para definir qual tipo de procedimento o paciente precisa se submeter acontecem com bastante antecedência à cirurgia e baseado na consulta e auxiliada pelos exames complementares. Fatores pontuais são levados em conta. Uma pessoa com um IMC muito elevado, por exemplo, deve ser submetido ao tipo de cirurgia bariátrica mais invasivo, para que ocorra uma maior porcentagem de perda de peso e gordura corporal. Por outro lado, se esse paciente apresentar um idade avançada, o médico pode escolher uma técnica menos invasiva e que necessite menor tempo de recuperação e perdas nutricionais exageradas. Confira quais são os tipos:

Bypass Gástrico

Apesar de ser uma operação mais complexa, o Bypass Gástrico é a segunda cirurgia mais realizada para tratar a obesidade mórbida. O estômago é dividido e cria-se uma pequena bolsa gástrica que é conectada ao intestino através de uma nova alça intestinal. Dessa forma o volume do órgão é reduzido consideravelmente e é feito um desvio intestinal. O procedimento restringe a quantidade de alimento que pode ser consumido (devido a redução do tamanho do estômago) e as alterações favoráveis ​​nos hormônios intestinais reduzem o apetite e aumentam a saciedade.

Contudo, é preciso ter atenção às recomendações dietéticas, suplementos vitamínicos/minerais ao longo da vida. A cirurgia pode levar a deficiências de vitaminas/minerais em longo prazo, particularmente déficits em vitamina B12, ferro e cálcio.



Sleeve ou Gastrectomia Vertical

O Sleeve é o tipo de cirurgia bariátrica onde ocorre a redução propriamente dita do estômago. Aproximadamente 80% do órgão é removido. O restante se transforma em uma bolsa tubular que se assemelha ao formato de uma banana. Estudos mostram que o Sleeve é tão eficaz como o Bypass gástrico em termos de perda de peso e é mais recomendado a pacientes com obesidade severa e que não possuam refluxo gástroesofágico.

Ele também é um procedimento que não causa grandes deficiências nutricionais, pois não possui o desvio intestinal e proporciona uma perda de peso mais gradual. Da mesma forma não possui um dos inconvenientes do Bypass que são o dupimg e o risco da hérnia interna, pois não se opera o intestino, somente o estômago. Atualmente é a cirurgia bariátrica mais realizada no mundo.



Duodenal Switch

A cirurgia bariátrica Duodenal Switch envolve dois componentes e duas etapas. Em primeiro lugar, é criada uma bolsa de estômago tubular menor, removendo uma porção do estômago, muito semelhante ao Sleeve. Em seguida, uma grande porção do intestino delgado é anulada. Semelhante às outras cirurgias acima descritas, a Duodenal Switch, inicialmente, ajuda a reduzir a quantidade de alimento consumido. No entanto, com o passar do tempo, esse efeito diminui e os pacientes são capazes de, eventualmente, consumirem quantidades “normais”. Os piores efeitos da Duodenal Switch são a diarréia e as deficiências nutricionais que podem levar a desnutrição calórico-protéica. Atualmente pouquíssimo é realizada, justamente por haver a necessidade de um acompanhamento muito rigoroso do paciente.





Cirurgia Metabólica

Em virtude dos excelentes resultados no controle do diabetes a cirurgia bariátrica também tem seu enfoque metabólico e tanto o Bypass como a Gastrectomia Vertical podem ser realizadas para o controle do diabetes em pacientes com obesidade grau I e que não estão tendo o controle adequado da doença com o tratamento medicamentoso. 

Todas essas cirurgias são realizadas por videolaparoscopia técnica menos invasiva e já estabelecida como via de acesso menos indolor e de mais rápida recuperação.