Mais da metade da população brasileira é sedentária

Você já ouviu a expressão “País das contradições” acompanhada de algum comentário sobre dados brasileiros? Se não, vamos usá-lo agora: segundo dados de 2016 da IHRSA, associação internacional do mundo fitness, o Brasil é o segundo maior mercado de academias em número de estabelecimentos (atrás apenas dos EUA), com mais de 30 mil unidades,  o quarto em número de alunos (8 milhões) e o décimo em faturamento (2,4 bilhões de dólares). Na contramão, outra pesquisa realizada no mesmo ano, a Vigitel, essa pelo Ministério da Saúde, apontou que 62% dos brasileiros não pratica nenhum tipo de atividade física. Ou seja, em um dos maiores mercados fitness do mundo, mais da metade da população é sedentária. Contradição ou não?

Por que sedentários?

Além de mostrar que apenas 37,6% dos entrevistados estão envolvidos com algum tipo de atividade física, a Vigitel 2016 também mostrou que o sedentarismo é maior entre as mulheres (71,9%)  do que entre os homens (53,4%).

Dentre os motivos alegados para a inatividade, os mais comuns estão a falta de tempo e de interesse, sendo esta, inclusive, a principal justificativa entre os mais jovens, conforme apontado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em maio de 2017, com base na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) de 2015.

Alerta vermelho

A pesquisa Vigitel também apontam outros índices bastante preocupantes. A obesidade aumentou 60% no país em 10 anos: passou de 11,8%, em 2006, para 18,9%, em 2016. Já o percentual de pessoas com sobrepeso atingiu 53,8%, o que pode estar ligado a esta falta de prática de exercícios. Outros dados que também apresentaram crescimento foram o de diagnósticos de diabetes (8,9%) e hipertensão (25,7%), doenças crônicas associadas ao sedentarismo, bem como doenças cardiovasculares.

Consequências

São também consequências do sedentarismo:

Fora do sofá

Por outro lado, a prática regular de exercícios traz diversos benefícios à saúde, tais como a normalização dos níveis de colesterol, triglicerídeos e glicemia, e pode ajudar a regular os níveis de colesterol, triglicerídeos e glicemia, previne doenças cardiovasculares e diminui a evolução da osteoporose. Também é conhecida a capacidade que as atividades físicas têm de liberar de endorfinas, fazendo com que o indivíduo sinta que tem mais energia para as atividades do dia a dia, além de melhorar o humor e a qualidade do sono.

Confira também
Os benefícios da prática regular de exercícios físicos para a saúde
- Em dez anos, obesidade e diabetes crescem 60% no Brasil
- Hipertensão: a doença que atinge 70% dos obesos no Brasil