Os benefícios da prática regular de exercícios físicos para a saúde

A vida moderna tem trazido inúmeros confortos ao ser humano: gradativamente é menos necessário se locomover para realizar determinadas tarefas. Apesar de acrescentar mais conforto e praticidade ao cotidiano do indivíduo, esse cenário também pode ter consequências preocupantes. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o sedentarismo é responsável por mais de duas milhões de mortes anualmente.

Para combater essa realidade alarmante, a prática de exercícios é fundamental. O recomendado é se movimentar por, pelo menos, 30 minutos durante três vezes na semana. Tal hábito influencia diretamente na saúde das pessoas. Exercícios físicos são capazes de combater doenças, aliviar dores e até tratar o psicológico humano. Quer conhecer melhor os benefícios da realização de atividades físicas? Confira abaixo:

Benefícios

As mudanças no organismo de um indivíduo ex-sedentário são claramente perceptíveis. A princípio, o desempenho corporal tende a melhorar, com o aumento do fôlego e da resistência física. O ritmo metabólico, velocidade em que o organismo transforma o material consumido em energia, eleva, reduzindo a gordura corporal e evitando a obesidade e demais mazelas atreladas a essa condição.

Além disso, os exercícios físicos podem prevenir doenças cardiovasculares, diabetes, osteoporose e dores na coluna vertebral, melhorando a postura do indivíduo. O sedentário que inicia atividades físicas deve ter paciência e cautela acima de tudo, principalmente se está acima do peso ou com obesidade. Uma boa opção é iniciar atividades físicas sob a orientação de um profissional especializado.

Praticar exercícios também estimula a produção de hormônios no corpo, ou seja, respostas hormonais que desencadeiam uma série de influências positivas no organismo, tais como melhoria da memória e do humor, sensação de bem-estar e concentração. Da mesma forma, a atividade física ajuda a diminuir a tensão corporal e o estresse, sendo indicadas para melhorar quadros de depressão e ansiedade.

Dentre os hormônios liberados durante a prática de exercícios, podemos citar o GH, ou hormônio do crescimento, responsável pelo estímulo da queima da gordura. Em seguida, temos a adrenalina e noradrenalina, responsáveis pela liberação de glicose no sangue e o aumento do gasto energético, o que acelera a queima de gordura. Outro exemplo é a endorfina, hormônio que gera a sensação de recompensa e bem-estar após os exercícios. Ele também faz com que a disposição física e mental cresçam, bem com a resistência imunológica. Em contrapartida, as dores diminuem e as tarefas árduas são suportadas por mais tempo.

Escolhendo o exercício ideal

O tipo de exercício ideal quando o foco é saúde são os aeróbicos. Eles constituem práticas nas quais o próprio corpo do indivíduo é o peso utilizado durante a atividade. Esses exercícios são livres de halteres e outras ferramentas, uma vez que o uso de tais materiais costumam ser voltados, principalmente, para a estética. Dessa forma, os exercícios aeróbicos atuam beneficiando a respiração, o sistema cardiovascular e a resistência física.

No entanto, esse fato não significa que os exercícios musculares também não beneficiam a saúde. Nesse aspecto, qualquer tipo de atividade é válida. Os movimentos aeróbicos são mais indicados para quem ainda está se acostumando com a saída da vida sedentária porque os impactos causados por esses exercícios são bem menores quando comparados aos musculares.

Cuidados

O principal erro de um iniciante na vida ativa é começar com exercícios não condizentes à capacidade física atual do indivíduo. Uma pessoa recentemente ex-sedentária dificilmente é capaz de aguentar os esforços que um profissional esportivo enfrenta, por exemplo. O organismo precisa se adaptar à nova rotina e somente com o tempo irá apresentar determinada resistência.

O início das atividades de forma incorreta costuma causar frustrações ao praticante, eliminado o estímulo inicial e levando o indivíduo à desistência do hábito. Além disso, existe a possibilidade de lesões graves, considerando esse corpo como não acostumado ao exercício proposto.

Assim, para evitar o início de uma rotina de ritmo avançado, é importante ir inserindo gradual e lentamente a movimentação no cotidiano, podendo atividades bem simples suprirem essa primeira necessidade. Passear durante o fim de semana, trocar o elevador pela escada, descer do ônibus uma parada antes para andar um pouco mais e acrescentar a bicicleta como meio de transporte são bons começos.

Outro cuidado é a alimentação. A prática de exercícios deve ser sempre acompanhada de uma dieta balanceada para que os benefícios plenos de ambos os fatores sejam aproveitados. Assim, ingerir regularmente alimentos saudáveis e capazes de nutrir as necessidades corporais é fundamental.

Confira também

- Qual a relação entre obesidade e hipertensão arterial?
- Pesquisa indica aumento de 60% na obesidade no Brasil
- Reflexões sobre a obesidade