Qual a relação entre obesidade e hipertensão arterial?

Que a hipertensão é uma das doenças que mais são associadas à obesidade, isso muita gente já sabe. Mas é necessário entender como ocorrem as alterações em nosso corpo, o que é prejudicado e como tentar combater esse problema de saúde. Para quem não sabe, a hipertensão arterial sistêmica (HAS), também conhecida como pressão alta, é definida como uma condição clínica caracterizada pelo aumento dos níveis da pressão arterial.

O Ministério da Saúde estima que quase 30% da população brasileira tenha pressão alta. E, aproximadamente, 70% dos homens e 61% das mulheres com hipertensão são considerados obesos,ou seja, possuem um índice de massa corporal superior a 30 kg/m².

Identificação

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), um bilhão de pessoas em todo mundo tem pressão alta, mas apenas um terço sabe que tem a doença. Isso se deve ao fato de os sintomas serem, na maioria das vezes, silenciosos. Dentre os brasileiros, cerca de 30% apresentam essa condição, sendo um dos principais fatores de risco para as doenças do coração e a maior causa de mortes no país.

Sintomas

Os principais sintomas da pressão alta são tontura, visão embaçada, dificuldade para respirar, dor de cabeça e palpitações no peito. Contudo, o indivíduo também pode não apresentar sintomas e ter a doença. Por isso, é importante medir regularmente a sua pressão sanguínea e procurar um médico para realizar check-ups sempre que possível.

Causas

Diversos fatores contribuem para que uma pessoa tenha hipertensão. Embora existam causas que não se possam combater, como as predisposições devido a idade avançada e fatores genéticos, a maioria se desenvolve a partir do estilo de vida do indivíduo, como a falta de alimentação balanceada, consumo de sal em excesso e a falta de atividade física.

Tratamento

Já que a hipertensão arterial, em alguns casos, se decorre a partir do estado de obesidade, uma das principais alternativas de tratamento é a redução de peso e de gordura corporal. Para isso, é importante adotar práticas de vida saudáveis, como alimentação balanceada e atividades físicas regulares. Em caso de obesidade mórbida e de ocorrência de ainda outra comorbidade associada ao excesso de peso, pode ainda ser indicada a intervenção cirúrgica, ou seja, uma cirurgia bariátrica. Mas é sempre importante buscar o auxílio de profissionais especializados na área nutricional e educadores físicos. 
   
Confira também

- Cirurgia bariátrica é eficaz no tratamento da hipertensão
- Obesidade, um problema emocional?
- Pesquisa indica aumento de 60% na obesidade no Brasil