A cirurgia bariátrica é mais arriscada que outras cirurgias?


Um dos grandes medos do paciente com obesidade, de acordo com o cirurgião bariátrico do Instituto AMO, Paulo Eduardo Campelo, é o risco da cirurgia bariátrica. No entanto, segundo o cirurgião, os riscos de complicações, como um problema cardiológico, são menores que 1%, e são semelhantes ao de qualquer outro procedimento cirúrgico da cavidade abdominal.  


No pós-operatório, as complicações leves e graves ocorrem em 4% dos casos, mas podem ser minimizadas por uma adequada avaliação realizada pelo cardiologista, pneumologista, além do anestesista.



Esses profissionais devem avaliar o risco operatório e, dependendo do grau de obesidade e da quantidade de doenças associadas, o paciente deve ser preparado fazendo uso de alguma medicação ou realizando fisioterapia respiratória e, assim, evitar alguma complicação no seu pós-operatório.